73. 3214-9100 atendimento@scmi.org.br
Fumante

Em dois anos, mais de 20 mil pessoas morreram por câncer na Bahia

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou, na  sexta-feira (3), um levantamento que aponta para o aumento de 31% de mortes por câncer no Brasil, nos últimos 15 anos. Segundo a organização, em 2015, a taxa chegou a 223,4 mil pessoas por ano. Na Bahia, segundo a Secretaria de Saúde do Estado (Sesab),  foram 10.803 mortes em 2014 e no ano seguinte, em 2015, 10.749 óbitos por câncer, segundo dados preliminares.

No topo da lista, segundo os dados oferecidos pela Sesab, estão o câncer de próstata, seguido do de traqueia, brônquios e pulmões e em terceiro lugar aparece o câncer de mama. Segundo Renata Cangussu, oncologista do Núcleo de Oncologia da Bahia (NOB), “normalmente o câncer de próstata costuma ser menos letal do que o de mama por ser uma doença menos agressiva”. Contudo, o levantamento aponta uma diferença de aproximadamente 25% entre os dois sexos, com os homens sendo as maiores vítimas. O motivo pode ser a negligência na hora de procurar um médico. “Em geral, as mulheres fazem os exames com mais regularidade e os homens acabam procurando menos o médico”, diz.

Quando se trata do câncer de traqueia, brônquios e pulmões, o principal vilão continua sendo o tabagismo. Na Bahia, cerca de 2 mil pessoas morreram entre 2014 e 2015 vítimas dessa doença. “O carcinoma escamocelular é o tipo de câncer mais associado ao tabagismo. Pode-se dizer que o cigarro é o responsável em 80% dos casos”, afirma Cangussu. Entre os sintomas iniciais, geralmente, estão a tosse, a falta de ar e a perda de peso. Porém, tudo depende da localização, do tipo e do estágio do tumor, sendo necessário um médico para dar o diagnóstico correto.

Expansão 
Em 2015, 8,8 milhões de pessoas morreram por conta do câncer, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). No início do século XXI, o total não passava de 6,9 milhões. O aumento de 22% no número de mortes é um dos maiores já registrados pela medicina moderna, de acordo com a organização.

A projeção indica que em 2030 o câncer terá atingido 21 milhões de pessoas em todo o mundo. US$ 1,1 trilhão é a soma do custo da doença, levando em consideração a produtividade perdida e os custos com seguros de saúde. Além disso, a cada seis mortes, uma é causada por câncer. “Trata-se do segundo maior motivo de mortes do mundo, depois de doenças cardiovasculares”, disse Etienne Krug, diretor da OMS.

De acordo com Krug, isso se justifica pelo fato da população estar ficando mais velha, pelas alterações nos estilos de vida e fatores como sedentarismo, dietas pouco saudáveis e poluição. No ranking mundial, o principal responsável por mortes são os cânceres associados ao sistema respiratório, incluindo tumores de traqueia, brônquio e de pulmões, que na Bahia aparece como o segundo colocado. Por ano, essas doenças fazem 1,6 milhão de vítimas no mundo.

Em segundo lugar na escala mundial aparece o câncer de fígado, com 788 mil casos em 2015. No mesmo ano, na Bahia, tiveram 569 casos de câncer de fígado e via biliar intra-hepática, segundo dados preliminares da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab).

Em seguida, segundo a OMS, aparecem  o câncer de cólon, com mais de 774 mil incidências, e o de mama, com 571 mil. O câncer de cólon, reto e ânus é o quinto mais incidente na Bahia nos últimos anos, atrás apenas do câncer de próstata; traqueia, brônquios e pulmões; de mama e de estômago.

O levantamento aponta que os tumores são mais fatais em homens. Em 2015, foram 5 milhões de casos, enquanto 3,8 milhões de mulheres foram vítimas do câncer. Entre os homens, os mais letais são os cânceres que atingem o sistema respiratório. Já as mulheres são afetadas pelo de mama. Na Bahia, o de próstata é o que lidera a causa de morte entre os homens.

Prevenção
A receita para se prevenir já é conhecida – atividade física, alimentação equilibrada, evitar o sedentarismo, o tabagismo e controlar o peso. “A obesidade tem relação direta com vários tipos de câncer”,  ressalta a oncologista.

Além disso, é importante destacar a necessidade dos exames de prevenção, que são oferecidos em redes particulares e nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), na rede pública. Em Salvador, é possível se consultar gratuitamente no Centro Estadual de Oncologia (Cican), na Av. Vasco da Gama, e na Faculdade de Medicina da Bahia, em Brotas.

Com a prevenção, os tumores podem ser descobertos no início e “a chance de cura passa dos 90%”, afirma  a especialista.  Segundo ela, identificar a doença no estágio inicial é o que faz a diferença entre o paciente ter chances de cura ou não. Se tratando do câncer de mama e de próstata, os mais comuns, as mulheres devem fazer a mamografia anualmente a partir dos 40 anos e os homens devem realizar o exame de toque e o PSA (marcador tumoral para o câncer de próstata) depois dos 45 anos.

Jogos, trabalhos manuais podem proteger o cérebro
 O estudo avaliou quase 2 mil idosos com idade entre 70 e 93 anos. Aqueles que praticaram essas atividades ao menos uma vez por semana tiveram menos risco de declínio mental. De acordo com a pesquisa feita na Mayo Clinic em Scottsdale, Arizona, as atividades simples que incluem navegar na internet, jogar baralho e socializar podem proteger contra o declínio mental. “Estar ocupado mentalmente é bom para a saúde do cérebro”, concorda Heather Snyder, da Associação de Alzheimer.

Fonte: Correio